sábado, 23 de julho de 2011

Especial TV CRUJ: Entrevista com o diretor Michael Ruman

Michael Ruman foi o diretor de grande parte da fase Disney CRUJ, exibida aos sábados. Quando entrou para o comando do programa, ele havia acabado de dirigir o longa-metragem "Os Xeretas", estrelado pelo jovem ator Fábio Lins (que mais tarde viria a fazer parte do elenco secundário do CRUJ) e pelo veterano Francisco Cuoco no elenco.

Ruman foi o responsável por várias mudanças no formato do Disney CRUJ, praticamente transformando o programa infanto-juvenil num seriado de suspense e aventura.

Aventura, aliás, é o que gira em torno dos principais trabalhos do diretor, que além de ter sido responsável pelo longa "Os Xeretas" (quase uma versão tupiniquim de "Os Goonies"), trabalhou também na produção do filme "Castelo Rá-Tim-Bum", estrelado por Diegho Kozievitch (que também fez parte do CRUJ, como Sputnik). Michael Ruman dirigiu a primeira e a segunda temporada da série "9mm São Paulo", atualmente em exibição no canal a cabo Fox.

Confira abaixo uma entrevista exclusiva com o diretor, que conta detalhes sobre os bastidores do programa, revela os mistérios do roteiro, os desafios da produção e o que levou ao fim do programa. Para você que foi fã da TV CRUJ, este material inédito é realmente imperdível!

Como foi a sua entrada no projeto CRUJ?

Em fevereiro de 2001, na festa de aniversário da minha amiga Eliana Fonseca, eu recebi o convite para dirigir o Disney Cruj. Ela fazia parte da equipe de roteiristas próximo programa da Disney no SBT, "Zapping Zone", e me indicou para o pessoal da Disney, que procurava um novo diretor. Achei o convite meio “festivo” e não dei muita bola. Alguns dias depois, o Flavio de Souza ("Mundo da Lua"; "Catelo Rá-tim-bum") contou que havia me indicado também. Achei legal da parte dele, mas estava mais preocupado com o lançamento do meu longa metragem infantil “Os Xeretas”, que seria em junho, do que me aventurar em televisão, coisa que nunca havia feito. Cuidar do lançamento de um longa metragem é difícil. No nosso caso, mais difícil, pois um mês antes do lançamento, o distribuidor simplesmente “quebrou” o contrato assinado e nos largou sozinhos.
No final de abril de 2001 eu recebi um telefonema… Mais um convite. Cacildaaaaaa… Eu sempre fui fã do Disney Club (depois mudado pra Cruj) e agora os caras querem que eu dirija isso!!!! Quer saber? Resolvi encarar o desafio.


Qual seria a sua função como novo diretor do programa?

Minha missão se resumia em dois itens fundamentais: mudar o que fosse preciso para fazer o Cruj voltar a ser o que era e também subir a audiência do programa. Missão impossível? Hummmm… Difícil, mas será que rola?
Aumentar a audiência depende de manter o interesse do espectador no seu produto. Resolvi agir por partes: Identificar o que estava acontecendo com o programa e seus personagens. Afinal, ninguém é líder de audiência e cai assim, de repente!

Como chegou à conclusão de que precisaria fazer mudanças?

Assisti vários episódios, dos mais antigos até o que estavam prestes a ir ao ar. Tudo continuava como era antes: as brincadeiras; os personagens; os desenhos… Bom, os desenhos eram outros, mas eram desenhos, sei lá!
Esse era o principal problema: tudo era como antes!
Só que, tantos anos depois da estréia, os atores haviam crescido! É... A natureza tem dessas coisas; as pessoas crescem. Os atores eram adolescentes (o Caju/ Juca já tinha quase 18 anos) mas ainda faziam coisas “de criança”. Minha conclusão: eles estavam sem graça e forçados. Eu tinha carta branca da Disney para demitir; contratar e tal. Como já disse: fazer o que foi preciso. Mas simplesmente demitir não é solução. Afinal, isso já havia sido feito (não sei se foram os mesmos motivos) com outros personagens (o Maca parece o que o publico mais sentiu!). Antes de tomar uma decisão radical, reuni os atores e conversei com eles. Eram bons atores e não havia porque tira-los do programa. Mas falando dos personagens, muita coisa deveria ser mudada.

O quê, por exemplo?

Não entendi a “função” da Maya (Marisol Ribeiro): ela só ficava ali, encostada no trailer do Paracleto (Ary França) e não fazia nada. Tá boooom… Os mais “radicais” vão me contestar e dizer: “claro que tinha função, o Juca era apaixonado por ela… Ou o Ramela…" Ah, é? E daí? O que leva isso? Sabe o que? O Ramela “aparecia” mais que o protagonista, o Juca!
O programa precisa de um protagonista, para então se criar um conflito e a trama ter consistência e não ficar só nos “devaneios” do Ramela, sem função alguma na condução da trama. Aliás… não era só o Ramela quem aparecia muito: a TRUB estava muito mais legal que o CRUJ. Não podeeeeeeee!
Outro personagem que estava “em baixa” e começando a perder a graça: Guelé/ Chiclé. Enquanto Juca crescia, Guelé se afastava mais dele. A relação genial dos primeiros anos, ficava cada vez mais “sem sal”. Claro… A “distância” entre irmão mais novo e irmão mais velho, idolo e tal, se perdia. Guelé também estava se tornando adolescente.
Maluca ainda tinha como “sobreviver” pois tinha como antagonista a Carla. Esse era um problema “menor” a se resolver. Naturalmente o personagem iria “entrar nos trilhos” à medida que eu conseguisse “subir” Juca e Gulé, além de encontrar uma função para Maya.

E quais foram as soluções encontradas?

Para resolver o “problema” do Guelé, criei o Sputnik (Diegho Kozievitch), um garoto sem memória que um dia “caiu dos céus “ em cima do Guelé. Esse personagem tinha como função a “escada”: estabelecer uma amizade entre eles têm muitas conseqüências no desenvolvimento das histórias. Primeiro lugar, Gulé tinha alguém de sua idade para se relacionar. Segundo, criar um certo “ciúme” no Juca, até agora distante do irmão. Terceiro, dar inicio à mudança mais radical na condução do programa: uma trama longa, que envolvia praticamente todos os personagens da serie.
Sputnik, sem memória e seus flashbacks/ sonhos - criou-se um mistério a ser resolvido. Guelé abriu mão da presidência do Cruj. Estava livre para investigar com seu novo amigo. Eu tinha um “sub plot” para desenvolver. (para quem não sabe, Plot quer dizer trama, que é uma história principal que acontece durante a série. Sub plot são as histórias paralelas, que podem ou não ter consequencias na principal!)

Além do mistério, a nova fase também ganhou uma pontinha de romance...

Eu precisava estabelecer melhor a relação entre Juca e Maluca. Sempre ficou no ar os dois se gostarem. Vamos provocar ciúmes e ver o que acontece. Volta Jorge Marcos (Fabio Henrique), o “canastrão bonitão”. Rola ciuminhos de Juca. Ele acaba se aproximando da Maya, que provoca uma certa… IRA na Maluca, e assim, vai, até se criar uma “pontinha” de interesse da Carla no Juca… Ou Caju? Essa vontade louca que ela tinha de denunciar o Cruj tinha um “que” de interesse dela no seu rival.

E o Paracleto, qual era sua serventia na história?

Bom… Por enquanto o trailer do pasteleiro fica sendo o “ponto de encontro”. Resolvi que ele seria “preparado” para a próxima temporada, quando seria inserido numa “trama maior”, fechando essa rede de relacionamentos que estava planejando.
Durante o ano de 2001, combinei com meus roteiristas que iríamos preservar um pouco do “espirito antigo” das histórias ou seja, beirar a comédia e “pastelão” em alguns episódios, até que os personagens estivessem melhor assimilados pelos espectadores, nessa nova fase. Mas a partir da chegada do Sputnik, tudo iria mudar. Era hora de partir pra trama mais longa. Tudo estava planejado para 2002 ser o ano da “virada” do Cruj. Paracleto era na verdade Otel Carap, figura misteriosa e parte da trama que envolvia Sputnik.


Fale um pouco mais sobre as tramas paralelas, que foram ganhando cada vez mais destaque...

Foi criado o Marlon (Fabio Lins), o “bandidão” que conquista a Maluca e nos deu oportunidade de criar várias cenas de conflito com Juca e ciúmes e mais mistério a ser desvendado. Finalmente, o jogo de espionagem entre a Agência (cujo objetivo era destruir o Cruj) e seus opositores (Liderados por Paracleto/ Otel Carap).
Os garotos descobrem uma rede de túneis sob a cidade. O trailer de Paracleto leva a uma câmara secreta, que leva a outro tunel, que leva a outro e mais outro… Até que descobrem o esconderijo secreto da AGÊNCIA e se estabelece o “conflito final”.

Enquanto isso, Guelé e Sputnik acham um livro secreto, escrito por Nuno, um garoto que viveu no século 17, que falava sobre tesouros escondidos. E assim se fechou a temporada 2001/ 2002. Muitas histórias paralelas e muito mistério. De programa, o Cruj se tornou SERIADO, com aventura, dramas pessoais e conflitos, que permeavam as tramas paralelas.

Pra quem não lembra, quatro crianças invadiram as transmissões da TV CRUJ na fase final do programa. Quais eram os nomes delas? A ideia de incluí-las na história foi para com o tempo elas substituírem os atores mais velhos, e assim dar uma maior longevidade ao programa?

Não me lembro os nomes dos personagens e dos atores. Só que demos os nomes deles de SUPERULTRAJOVENS.
Eu pedi pra Claudia Dallaverde e pro TAKUS (roteirirstas) que criassem um roteiro onde o Criuj fosse invadido por diversas razões: Botar um certa dúvida na cabeça do Juca e Malu, se eles não estavam se tornando "ultravelhos" para continuar a comandar o Cruj. Isso porque ja haviamos colocado essa pergunta, quando a Pipoca reclamava deles... Estavam sempre ocupados demais pro Cruj... Pipoca também reclamou que eles sempre tinham coisas "importantes" pra fazer, sem se preocupar com o Cruj. Na verdade, a Pipoca AINDA não sabia de tudo o que estava acontecendo, mas isso serviu para "plantar" a ideia de que eles (os nossos protagonistas) poderiam começar a pensar em "passar a bola".
Por isso, o Cruj foi invadido por ultrajovens não uma, mas duas vezes... E isso ficou na cabeça do Juca. Até fizemos um diálogo dele e da Pipoca e depois com a Malu, onde discutem se não era a hora de passar o Cruj pra ultrajovens de verdade. A minha intenção sempre foi "aposentar" os protagonistas da "direção" e apresentação das transmissões, sem deixar os espectadores "órfãos" de desenhos e brincadeiras. Eles estavam crescendo e estava começando a ficar inviável aqueles "quase adultos" apresentando o Cruj. Por isso eu criei as aventuras e depois pedi para que os roteiristas "invadissem o Cruj". Isso garantiria longevidade aos Cruj (transmissões) e também manteria os protagonistas na ativa, participando mais "livremente" das aventuras.
Os superultrajovens não seriam FIXOS e sempre teriamos como substituir, por um próprio "decreto" que seria instituído pelo CAJU/JUCA... Isso manteria o Cruj sempre atualizado e os apresentadores sempre ultrajovens.
Como também já disse, na temporada seguinte, que ja estava toda planejada, faríamos a gradual entrega do Cruj aos novos meninos e meninas e daríamos continuidade às aventuras, agora com Juca e sua turma voltando no tempo e indo pro passado, onde encontrariam o NUNO e os piratas e também os "ultrajovens"da época...

É impressão minha ou "novo Caju" é o Yudi Tamashiro?

E a audiência do programa nesta nova fase?

Já com as primeiras mudanças, nós notamos que a audiência subia. No inicio era uma mudança discreta. Claro... Depois que mudou para os sábados, muita gente nem sabia que o Cruj ainda existia!
E as chamadas? Descobri que não haviam chamadas!!!!!! Foi um longo caminho e muitas negociações para que fossem ao ar as chamadas do Cruj. Algumas, eu mesmo editei, para dar um tom mais de “trailer de cinema” e chamar mais a atenção dos espectadores.
Depois disso, começaram as campanhas internas de divulgação. Participação dos atores em outros programas e especiais e tal… E também um trabalho de divulgação, junto com a agência da Disney, pra aproximar o publico do novo formato. Foram entrevistas em revistas, programas e jornais, divulgando para todo mundo que o Cruj ainda existia e estava voltando com força total. O resultado rapidamente se refletiu na audiência.

Os resultados foram positivos depois das mudanças?

Demos um pau na Globo! Eles tiveram que “apelar” e trocaram todos os seus desenhos pros japoneses, pra conseguir estabilizar um pouco a coisa. Mas perdiam na audiência, quando nós entravamos com nossa trama. Nós perdíamos na hora dos desenhos… Os nossos eram antigos e repeteco de repeteco. E não tínhamos mais “Timão e Pumba” para massacrar a globo… Foi aí que resolvi estudar melhor a tabela de audiência.
Já disse que nunca tinha feito televisão? Hehehe! Coisa legal, a televisão.

Como funcionava essa análise de audiência?

O programa ia ao ar no sábado. Dois minutos depois de terminar, eu recebia a audiência média. Na segunda feira, recebia uma tabela com a audiência minuto a minuto. Toda segunda pela manhã eu me trancava no meu escritório para “estudar” essa audiência… Perdíamos quase sempre na hora do desenho. Hummm… Alguma coisa precisava ser feita…

O que vocês decidiram fazer para reverter a situação?

Mudar o esquema de “breaks de comercial” e NUNCA manter os nossos desenhos no mesmo horário e ordem… Isso que dizer que a cada semana o horário de entrada de cada desenho era alterado. Alguns sábados, simplesmente cuidávamos pra que fossem apresentados os desenhos mais longos no inicio do programa, para “comer tempo” e sempre que entrava o break (intervalo comercial) , fazer um “teaser” da história da semana, a fim de despertar a curiosidade do espectador e fazer com que sempre estivesse “de olho” no SBT pra não perder a continuidade da trama.
E acabou dando certo. A brincadeira dos corredores era: “a tática do seu Silvio” funcionou… Os caras tiravam sarro porque lembravam das longas sessões de Tom e Jerry que o SBT ficava passando, até acabar a novela na globo, huahuahuahuahuahua! No nosso caso, era uma “adaptação” dessa tática, ué!

Mas em números, a audiência era mesmo satisfatória?

Embora alguns sites ou blogs divulguem nossa audiência em torno de 7 pontos, eles estão enganados, ou estão colocando uma audiência “média” num periodo muito longo, incluindo o inicio do Cruj aos sábados. Mesmo com a baixa de audiência, o Disney Cruj sempre esteve pau a pau com os desenhos da globo. Depois das mudanças, subimos para 13, 14 e às vezes 16 ou 17 pontos, contra 9 ou 10 do nosso concorrente direto. O resto se diluía entre as outras emissoras, mas a briga mesmo, ficava entre SBT e Globo. Bom… a gente levava pau feio, quando eles resolviam transmitir alguma missa do padre Marcelo huahuauhahuahua! Aí não da pra concorrer! Provavelmente os pais mais fanáticos tiravam seus filhos da frente da Tv pra ver o Padre…. Azar dos ultrajovens!

E a reação do público, muita gente reclamou das mudanças?

Nosso esforço foi reconhecido. O publico reagiu muito bem com as mudanças. Eu sei que existem pessoas que até hoje são radicalmente contra essas mudanças, mas elas foram necessárias ou o programa iria sair do ar. E se são contra e ainda comentam “como era melhor ANTES”, é porque assistiram a nova fase!
E se são contra, é bom sinal. A melhor coisa quando você coloca alguma coisa no ar é ter reação do publico… A pior é quando ele não se manifesta!
Só sei que toda semana recebíamos um quantidade enorme de emails elogiando o programa e querendo mais e mais. O mais legal era quando você recebia email de um ultrajovem dando sugestões; tentando “decifrar”; “adivinhar o final”, etc. E os pais desses ultrajovens, mandando cartas e emails contando que sentavam com seus filhos pra assistir o Cruj juntos!

Em 2002, o programa infelizmente saiu do ar. O que realmente levou ao final da TV CRUJ? 

O que é bom, um dia termina. Existem vários boatos sobre o final do Cruj. A verdade é que ele saiu do ar por uma decisão do “seu Silvio”. Assim como ele decidiu de uma hora pra outra que vários programas da emissora simplesmente não iriam ser renovados, a “onda de cortes” chegou até nós. Uma pena…
Já tinhamos os storylines (storylines são os “resumos” das histórias de cada episódio, que depois serão escritos na forma de ROTEIRO) de quase todos os episódios da próxima temporada.

O que mudaria e o que manteria do trabalho realizado no CRUJ?

No Cruj, teria feito algumas coisas acontecerem de maneira mais "RADICAL" sem perder muito tempo. Faria os meninos mais novos invadirem antes e tomarem posse de vez, pra liberar um poco mais os protagonistas em cima das aventuras. Isso teria adiantado um pouco a trama e o arco mais longo, levando tudo o que foi planejado a ir pro ar no final de 2002. Fico pensando que até foi bom não ter feito isso, pois seu Silvio nem teria tomado conhecimento e tudo ficaria mais no ar do que ficou!
Mas basicamente o que eu sempre quis fazer foi trocar os desenhos. Algumas pessoas não entendiam que nosso público estava crescendo, assim como os protagonistas e que muitos dos desenhos eram repetidos ou bobos demais para eles. EU "implorava" ( teve um dia que fiquei de joelhos, literalmente) e eles não entendiam isso... Esses desenos bobos e longos eram a coisa que mais atrapalhava!
Na trama, eu tinha um persoangem novo criado, mas não queria "estrear" antes da hora. Queria esperar a nova temporada. Mas não deu hehehe!
Cara... Sempre que vejo alguém falar do Cruj e até quando tenho a oportunidade de rever alguns episodios (tenho alguns gravados) eu fico pensando em mudar um monte de coisas... Mas as pessoas (e eu mesmo) precisam entender que tomei decisões que pareceram corretas e boas na época. Fazer TV é correria e você precisa agradar os espectador (quem eu mais respeito); quem te contratou (a Disney) e quem te paga (o SBT). Poderia ser mais "porraloca" ou até menos radical em algumas coisas... Mas isso já passou e você acaba acumulando experiência e "manha" pra usar numa próxima vez!

Quando fala dos desenhos, consegue se lembrar de algum exemplo que você desejou retirar do programa, e por quais motivos?

Não me lembro dos nomes. Mas a maioria dos desenhos "longos" atrapalhavam. Eram na sua maioria reprises e baixavam a audiência durante muito tempo. Aquele do "Doug" era o menos ruim. Mas tinha um de uma menina sem graça que era insuportávelllll!
Os desenhos que as pessoas curtiam eram aquele da escola (Hora do Recreio), um de mistério (Gárgulas ou algo assim) e depois de algum tempo, o do Buzz Lightyear. TODOS imploravam pra gente passar Timão e Pumba e o do Pateta, mesmo que fossem reprises. Mas não foram liberados pela Disney.

Acho que a menina da qual está falando é a "Ana Pimentinha" (Pepper Ann), não? E não lembro de Gárgulas ter sido exibido no CRUJ... não teria sido "Os Super Patos"?

Essa mesma! Oooooooo coisa chataaaa! huahuahuahuhuaahu!
Não, o outro chama Gárgulas, mesmo. Eu me lembro desse, porque estava meio "jogado" e eu assisti e achei que podia funcionar. Os Super Patos já não estava à disposição.

Voltando a falar sobre o enredo, como seria o desfecho daquela trama cheia de intrigas, que nunca chegou a ir ao ar?

Quer saber? Só vou dar uma dica: O pessoal que invadiu o Cruj duas vezes ia tomar conta das transmissões. Juca e Maluca fariam uma reunião com eles, decidindo isso. A trama que teve início com o NUNO teria continuidade. Guelé e Sputnik iriam descobrir uma maneira de voltar no tempo e encontrar o Nuno e combater um terrível bucaneiro. Juca e Maluca fariam os planos para o resgate, enquanto a AGÊNCIA voltaria a atacar, dessa vez pra colocar a TV Cruj fora do ar de uma vez por todas! Mas… Isso fica pra outra vez, não é mesmo?


É verdadeira a lenda de que existem episódios que nunca foram ao ar? Você tem algum desses episódios em vídeo?

É LENDA. O que eu fiz foram "chamadas" que iam entrar no ar bem antes do programa entrar na nova temporada. Eu gravei algumas cenas com eles e isso ia entrar como "teaser" da nova fase, que provavelmente iria ao ar em Março de 2003. Mas o "seu" Silvio detonou o programa dois dias depois que eu gravei tudo.
A direção da emissora e a Disney pediram que eu fixasse e criasse outro programa, a única exigência era se adequar ao orçamento e ser planejado pra ir ao ar no mesmo horário. Eu fiz isso e no final de janeiro, o programa foi aprovado pelo SBT. A Disney foi outra história... Não que não tivessem gostado... Eles nunca viram isso. Alguns problemas internos e mudança de sede do Mexico pra Argentina e a prioridade (isso é minha opinião) do Zapping Zone, que ia bem mal das pernas, fizeram eles simplesmente levar isso com a barriga. Mas eu não quis esperar mais. Recebi convites pra retornar ao cinema e já estava na hora de voltar à ativa.

É uma pena que o programa tenha terminado sem um final. Mas você manteve contato com o elenco, certo?

Se serve de consolo, muitos dos atores do Cruj já trabalharam comigo de novo, dessa vez no seriado (adulto) “9mm São Paulo”. Diego Ramiro e Fabio Lins já fizeram dois episódios na primeira temporada; Diegho Kozievitch [Sputnik] fez quatro episódios e nessa nova temporada, vocês verão a Jussara Marques em dois episódios… E ela está genial!

Você já pensou em voltar a dirigir um programa infantil?

Sim. Logo depois de "desistir" de continuar batalhando o novo programa, voltei ao cinema, mas a criação que eu fiz, eu mexi tirei os personagens que não me pertenciam (o programa seria um spin-off do Cruj) e substitui por personagens criados por mim. Esse roteiro/projeto foi parar na TV Cultura. Depois em outras emissoras e tal. Mas não tive resposta ou sei que ficou "travado" na burocracia da Cultura.

Muito obrigado pela gentileza, Michael. Saiba que seu trabalho fez parte da infância de muitos brasileiros!

Um grande abraço :)

:: Para conhecer os trabalhos do diretor Michael Ruman, acesse seu site oficial, que contém fotos e vídeos das produções, incluindo um making of do Disney Club. Clique aqui para visitar a página.


Conheça os personagens secundários do Disney CRUJ, e confira mais uma entrevista. E ainda não paramos por aí... Aguardem mais novidades na reta final do maior especial sobre a TV CRUJ já realizado!

10 comentários. Só estou esperando o seu...:

• blogaritmox • disse... [Responder]

Então... Eu não tenho muita saudade da 2ª fase do Cruj. Mas é como ele disse: eu realmente assisti. Eu não perdia. Mas não gostei muito.

Infelizmente, a TV não abre mais espaços pra caras como o Ruman, que querem trabalhar para os jovens, e vêm com ideias pra isso.

Só não entendi por que ele não quis revelar o final... Vai morrer com ele?

Os desenhos eram mais voltados pra um público menos criança. "A hora do Recreio" e "Doug", por exemplo, era sucesso entre pré-adolescentes pra cima.

E a Disney, muito chata essa não-liberação dos desenhos que o publico queria. Nada a ver.

Enfim, a entrevista foi longa (graças a Deus! cheia de informações), mas não lembro de mais pontos pra comentar.

alan raspante disse... [Responder]

Nossa, esse especial está surpreendente, hein? Não imaginava que teria entrevista com o diretor. Muito bacana... Respondeu tudo e acabou com as dúvidas em torno do fim do programa! Demaaaais!

Abs.

André San disse... [Responder]

Olá, tudo bem? Excelente entrevista! Infelizmente, ninguém se preocupou muito em explicar o porque das mudanças no Cruj naquele período. Agora, tudo explicadinho! Não sei como funcionava a assessoria do SBT naquela época, mas eles deviam ter dado mais ênfase ao programa. Eu mesmo sabia das mudanças porque acompanhava o show, mas e quem não o fazia? Não me lembro de matérias (como essa) em jornais, não me lembro de chamadas (isso realmente sempre foi um problema no SBT... muito estranho uma emissora economizar chamadas... ainda bem que hj já não fazem mais isso). O diretor até falou que houveram divulgação em outros programas, mas nem disso me lembro. E olha que era um programa muito bem feito, bem produzido, com trama e atores muito bons.Ou seja, era um produto caro pra ficar escondido. E gostei de saber que haveria um spin-off, não sabia disso. Curiosidades da TV, hehe! Parabéns pela entrevista elucidativa, Britto! Mais um documento eterno do O&O. Abraço!
André San - www.tele-visao.zip.net

Anderson disse... [Responder]

Olha, essa entrevista foi incrível e ajudou a esclarecer muitas coisas!!
Vi que vc perguntou no Twitter se o garoto era o Yudi, mas não era não, era outro garoto..Por mais que pareça assim, mas sem máscara são muito diferentes..
Eu tenho gravado essa temporada do programa, que achava o máximo e assisti muitas vezes.
Espero que este trabalho não termine tão cedo, pois tem muita informação esclarecedora..

Tô Ligado disse... [Responder]

Cara... seria repetitivo eu repetir que você está fazendo um excelente trabalho?

Excelente!!!

Boa semana pra vc!

Daniel Abrão disse... [Responder]
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse... [Responder]

Eu, particulamente, nunca apreciei a nova fase do programa. Na época, cheguei a assistir e tal, mas vi pouquíssimo, uns 3 ou 4 episódios apenas. Percebi que a intenção do programa, era tornar-se uma espécie de "Malhação Mirim" para atrair o público entre 12 a 16 anos. Nunca fui fã disso e achava os textos muito fracos e a trama pouco convincente. Acho uma pena ter acabado o programa, mesmo eu não gostando dos rumos tomados. Mas fazer o que, as coisas mudam mesmo, pessoas crescem. Eu ja tava grandinho pra assistir a antiga versão, e achava a nova versão um pé no saco. He he. Mas tinha, tem e sempre terá, coisas muito piores na TV. Gostei muito das entrevistas, parabéns!

senna889091 disse... [Responder]

Oi anderson, vc tem essa temporada? teria como disponibilizar pro pessoal?

Michael Ruman disse... [Responder]

Se vocês ainda não viram, eu disponibilizei dois videos do Cruj: Um making of e um "erros de gravação", que estão no meu site http://michaelruman.com/cruj/index.html
Espero que gostem.
Michael Ruman

Mailson Freitas disse... [Responder]

Quero parabenizar esse blog especial que fez da TV Cruj.Essa reportagem do último diretor do programa foi perfeita.A melhor época do Disney Club foi de 1997/2000.Essa fase Disney Cruj foi um porre.Ruman quis transformar o programa numa espécie de filme de aventura infantil de Sessão da Tarde e não deu.Os últimos desenhos do programa não eram bons.Ana Pimentinha era chatinho.Doug foi bom só na versão Nickelodeon.A versão Disney era um saco.Hora do Recreio era melhor desenho dessa ultima fase do programa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...