segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O melhor e o pior do fim-de-semana

O último fim-de-semana na TV aberta foi marcado por um evento importante, o Criança Esperança, que este ano completou 25 edições. Muito se falou sobre as mudanças realizadas por Wolf Maya, novo diretor do espetáculo, mas o resultado até que não foi tão negativo como se esperava. Confesso que não tive paciência de assistir ao show inteiro (nunca faço isso mesmo), mas o pouco que vi não foi tão decepcionante assim. Pelo menos vou fingir que não vi as versões toscas de Mônica e Cebolinha em computação gráfica...

Wolf Maya comemora: foi menos pior que o ano passado!
O ponto positivo do Criança Esperança 2010 foi a tentativa de fazer algo mais artístico, menos comercial que nos anos anteriores. Mas o lado ruim da história vem grudado, pois a tentativa não foi muito bem-sucedida. Eu diria que o resultado foi um tanto amador para os padrões globais. Mas nada tão ruim como se comentava. A parte pior de todas, porém, vem pelo fato de o diretor ter decidido que os artistas não poderiam cantar suas músicas de trabalho, em vista de ser um evento beneficente e blá, blá, blá... Mas a promessa foi descumprida quando entrou no palco Léo Santana cantando o seu "Rebolation". E isso com porte de grande atração da festa, maior artista do momento, cantando do alto do seu pedestal (literalmente). Fico pensando os motivos de ele ter sido o único com esse direito... mas Wolf Maya não vai querer assumir, se é que me entendem.

Leo Santana responde se vai dizer o motivo desse tratamento especial
Saindo da noite de sábado, passo para a manhã/tarde do domingo: Dulce Maria no Domingo Legal. Eu nunca tinha dado a mínima bola para a cantora mexicana, que surgiu para o mundo depois do sucesso da novela "Rebelde" e sua banda derivada, RBD. Mas por causa de uma amiga, tive a paciência de ver alguns momentos da ruiva (ou seria roxa) no programa de Celso Portiolli. Assim como aconteceu quando Kiko (Carlos Villagrán) esteve no Brasil, o apresentador mostrou seu lado tiete, ficando meio perdido durante a participação da cantora. Como não poderia deixar de ser, a atração rendeu muitos momentos "vergonha alheia", principalmente por algumas perguntas molóides dos tuiteiros e pela apresentação do "novo" Tchacabum na presença da moça. Fico imaginando a impressão que esses artistas têm do Brasil...

Portiolli em seu momento tiete
.: Outros destaques do fim-de-semana:

:: O penúltimo capítulo de Uma Rosa com Amor, no sábado, que foi uma mistura de direção amadora com cenas de ação jamais imaginadas na tela do SBT. Deixo para falar mais depois que assistir ao último capítulo da novela...

:: O fiasco do Fantástico, que teve um pedacinho da liderança tomado por cada concorrente. Só O Formigueiro não teve vez...

:: Tinha mais alguma coisa, mas agora eu esqueci. Então não foi tão destaque assim...

3 comentários. Só estou esperando o seu...:

Tô Ligado disse... [Responder]

hehhe.. não sei por que barraram a Copélia com o seu Forunfeichon????

CE não me desceu.

Abraços.

Augusto César disse... [Responder]

Há séculos que não paro pra acompanhar o "Criança Esperança". Não tenho mais paciência - nem tempo - pra isso. No entanto, acho uma ótima iniciativa da Rede Globo. No mais, acho bacana a estratégia adotada por Wolf Maya, "impedindo" que os artistas tentem fazer da campanha palco em benefício próprio. Se bem que essa regra não valeu para o bombado do Léo Santana, né?! Valeu!

@Raspante disse... [Responder]

Não assisto Criança Esperança e vi trechos deste ano, enfim, pra mim não cheira e nem fede, como sempre.

Sério, fiquei com dó da Dulce Maria, tendo que dançar "olha a onda" e atender telefone com o Celso Portiolli, HAHAHAHAH.

Boa Semana!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...