segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Estou de volta!


Depois de uma semana sem postagens, estou vontando ao blog. A semana que passou foi cheia, pois estava me preparando para uma viagem programada há meses. O destino: Porto Seguro, litoral sul da Bahia, berço do descobrimento do Brasil.  Foram cinco dias maravilhosos, relaxei muito, tirei várias fotos, conheci lugares lindos - que em breve recomendarei a todos - e me diverti bastante. Tenho muita coisa pra contar, mas pouco tempo para falar e muito menos memória para lembrar de cada detalhe. Mas vou abrir uma exceção para contar a vocês um pouco do que me aconteceu nesta minha grande aventura...

ASSALTADOS!

Saí de Salvador com minha mãe com destino a Porto Seguro na quinta-feira, 04 de novembro. Já havia cerca de três meses que meu pai estava trabalhando lá, então resolvi unir o útil ao agradável matando a saudade do velho e conhecendo a cidade histórica. Tudo corria bem até que, poucas horas depois de nossa chegada, fomos assaltados. Isso mesmo, um grupo de quatro bandidos invadiu a pousada em que acabávamos de chegar e quase causou uma tragédia. Eu estava dois quartos distante dos meus pais, com a porta trancada e a janela aberta, quando ouvi de longe uma voz falando sobre um assalto. Não sabia se era a televisão muito alta no quarto ao lado ou de fato um roubo, então fui até a janela e vi que do lado de fora não havia ninguém, tudo estava em silêncio. Automaticamente fechei a janela e desliguei a televisão. Entrei para o banheiro e me pus a orar. Graças a Deus que tenho isso como hábito e não faço apenas nos momentos de dificuldade, então creio que foi mais fácil para Ele me ouvir.

No local em que estávamos o sinal de celular era muito ruim. A Oi não estava disponível, mas mesmo assim eu tentei ligar para os números de emergência. Polícia, bombeiros, ambulância... nada servia! O jeito era apelar para Jeová, o único que poderia me ajudar. O tempo passou rápido e eu escutei o barulho de um carro saindo da pousada. Era o carro do meu pai, que os ladrões haviam acabado de levar. Lá fora, começavam as vozes dos hóspedes da pousada, e eu ouvia minha mãe chorando e perguntando por mim. "Foi com eles", ouvi uma voz repetir. Enquanto ela entrava em desespero, eu tentava desesperadamente abrir a porta do quarto, gritando "Eu estou aqui!". Assim que saí, fui direto para os braços de minha mãe e ela para os meus. Ficamos abraçados por um longo tempo, eu chorando, tentando acalmá-la, e ela chorando e tremendo como eu nunca havia visto.

CONTINUA...

P.S.: Estou pensando em processar a Oi. Como é que pode uma pessoa não poder usar uma chamada de emergência num caso de grande necessidade como esse?

4 comentários. Só estou esperando o seu...:

Matheus Souza disse... [Responder]

Bem, acho que Ele pode ouvir e ver mesmo quando não o chamamos. É onipresente. Rs...

Abs.

Érico disse... [Responder]

Que situação! Espero que tudo tenha terminado bem, na medida do possível!

Augusto César disse... [Responder]

Foi Deus! Espero que você e seus pais já estejam refeitos... Abraço!

Mom disse... [Responder]

Oi Britto,
realmente orar é a solução e clamar pelo Nome Santo do Senhor Jesus!
Ele promete ouvir.

Salmos 28:2 Ouve-me as vozes súplices, quando a ti clamar por socorro, quando erguer as mãos para o teu santuário.

Apesar de ser onipotente, onipresente, onisciente, podendo socorrer mesmo os que não o invocam (como ele fez com a viúva, ressuscitando o seu filho), ele prioriza os que o reconhecem e o chamam pelo Nome.

Feliz em saber que, além do gosto pelo Tintin, também pertencemos à mesma família.
Beijos,

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...